Header_link_left
Definições de Ratings

A Fitch Ratings publica opiniões em uma variadade de escalas. Os mais comuns são os ratings de crédito, mas a agência também publica classificações, scores e avaliações sobre força financeira ou operacional. Por exemplo, a Fitch também atribui ratings específicos a prestadores de serviço de cobrança de hipotecas residenciais e comerciais; gestores de recursos; e fundos de investimento. Em cada caso, os investidores devem consultar as escalas de rating específicas para se orientarem sobre os riscos presentes nestas avaliações.

Os ratings de crédito da Fitch constituem uma opinião quanto às condições relativas de um emissor em honrar seus compromissos financeiros, tais como pagamento de juros, dividendos sobre ações preferenciais, pagamento de principal, sinistros de seguros ou obrigações com contrapartes. Os ratings de crédito relativos a títulos e valores mobiliários e obrigações de um emissor pode incluir a expectativa de recuperação (veja a seção Limitações Específicas Sobre as Escalas de Rating de Crédito para mais informações). Os ratings de crédito são utilizados por investidores como indicação da probabilidade de receberem o capital investido, segundo os termos acordados na ocasião da realização do investimento. Os ratings de crédito da agência são aplicáveis a uma gama global de empresas, títulos soberanos, bancos, seguradoras, outras entidades de finanças públicas (incluindo entidades supranacionais e subnacionais) e seus títulos e valores mobiliários e obrigações, assim como operações estruturadas lastreadas por recebíveis ou outros ativos financeiros.

Os termos "grau de investimento" e “grau especulativo” foram estabelecidos ao longo do tempo como abreviações para descrever as categorias de ‘AAA’ a ‘BBB’ (grau de investimento) e de ‘BB’ a ‘D’ (grau especulativo). Esses termos são uma convenção do mercado e não indicam qualquer recomendação ou endosso de um título específico com o propósito de investimento. Categorias de grau de investimento indicam uma probabilidade baixa a moderada de risco de crédito; enquanto categorias de grau especulativo ou sinalizam uma probabilidade de risco de crédito mais alta ou indicam que a inadimplência já ocorreu.

Para a conveniência do investidor, a Fitch poderá incluir em sua página ratings de emissões que não foram ou que não tenham sido atribuídos. Tais emissões estão destacadas como “NA” ou “Não Avaliado”. 

Os ratings de crédito expressam uma medida relativa de risco, o que significa que eles representam uma medida ordinal de risco de crédito e não uma previsão da frequência específica de inadimplência ou perda. Para informações sobre o histórico de desempenho dos ratings, consulte a Matriz de Transição de Rating e Taxa de Inadimplência com explicações sobre o histórico das taxas de inadimplência e seus significados. O órgão regulador europeu (ESMA) também mantém um sistema onde se pode consultar as taxas históricas de inandimplência.

Os ratings de crédito da Fitch não tratam diretamente de outro risco exceto o de crédito. Em particular, os ratings não contemplam riscos de perdas de valor de mercado ocasionadas por mudanças em taxas de juros, liquidez e outras condições de mercado. No entanto, em termos de pagamento das obrigações avaliadas, o risco de mercado pode ter influência sobre a capacidade de um emissor de cumprir com seus compromissos. Ratings, no entanto, não refletem o fato de que o risco de mercado venha a influenciar o montante ou outro aspecto do pagamento das obrigações (por exemplo, como no caso de bônus atrelados a índices).

Nos componentes de inadimplência dos ratings atribuídos a obrigações individuais ou instrumentos de dívida, a agência avalia a probabilidade de não pagamento ou de inadimplência de acordo com os termos da documentação da transação. Em limitados casos, a Fitch poderá incluir considerações adicionais (por exemplo, avaliar para um patamar superior ou inferior ao padrão, em função de aspectos envolvidos na documentação da operação).

As escalas principais de rating de crédito podem ser utilizadas para fornecer uma opinião de crédito de obrigações privada, certos programas de emissão ou para ratings privados. Neste cado, o rating não é divulgado, mas somente fornecido ao emissor ou seus agentes na forma de uma carta de rating.

A escala principal de rating de crédito também pode ser utilizada para atribuir ratings para outros instrumentos, incluindo fluxos de juros e retorno do principal ou outras formas de opinião tais como Opiniões de Crédito ou Serviços de Avaliação de Crédito. Opiniões de Crédito terão uma anotação específica ou uma visão específica da categoria, utilizando a escala principal de rating de crédito e omitindo uma ou mais características da atribuição integral de rating ou atendendo diferentes padrões. Opiniões de Crédito serão indicadas pela utilização de símbolos com letras minúsculas combinadas com um asterisco (por exemplo: “bbb+*” ou o sufixo (cat) para destacar a situação da opinião. Opiniões de Crédito poderão ser point-in-time, mas poderão ser monitoradas, se o grupo analítico considerar que tem informações suficientemente disponíveis para tal. Os Serviços de Avaliação de Crédito são uma anotação específica utilizando a escala principal de rating de crédito de um rating existente ou potencial que poderá ser alterado, dadas as circunstâncias hipotéticas. Os Serviços de Avaliação de Crédito são point-in-time. Os Serviços de Avaliação de Crédito não são monitorados; não são colocados Em Observação ou Atribuída uma Perspectiva; e não são publicados.

O Processo de Rating

Processo e Procedimentos Para Ratings da Fitch